Pesquisar

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Magra até para modelo

Amanda Hendrick
A alguns anos a modelo Amanda Hendrick deixou de ser a modelo mais famosa do mundo para ser um péssimo exemplo para meninas. Duas fotos dela que faziam parte de um catálogo de vendas foram retiradas por decisão da entidade de regulamentação de publicidade no mercado britânico. As imagens vestindo biquínis mostravam Amanda magra de mais sendo consideradas socialmente irresponsáveis. A entidade já havia recebido queixas de que ela sofria de anorexia. Ela possui mesmo sinais da doença conforme avaliado por um programa da Unifesp que da assistência a transtornos alimentares. Os sinais são o corpo infantilizado, não tem tecido adiposo nos quadris, seios e coxas e o rosto é envelhecido com os contornos do crânio projetados.

Estudos recentes mostram que meninas que apresentam predisposição genética para a doença têm 18 vezes mais chances de desenvolver a mesma se fizerem regimes para emagrecer. O fator hereditário além de transtornos alimentares pode ser outro transtorno como depressão ou bipolaridade.

A maior preocupação dos médicos hoje em primeiro lugar são modelos que inspiram meninas a emagrecer e em segundo lugar são os sites feitos por meninas anoréxicas que dão dicas de como emagrecer e enganar familiares e profissionais da saúde.