Pesquisar

Pesquisa personalizada

terça-feira, 31 de março de 2009

Depoimento: Não pemsem assim..

oi...Tenho 22 anos, tenho anorexia, não suporto ser gorda...pois todos sempre falavam ela e tão linda e magra q pra mim hoje ser bonita tem que ser magra. Comecei a vomitar com mais ou menos uns 17 anos, ninguém nunca percebeu pois todos estavam sempre ocupadas demais pra me notarem, acho que comecei a vomitar pra minha mãe reparar em mim, mas aí depois era por outros motivos pra ficar magra mesmo, com 19 anos pesei 28kg,colocava duas calças pra ninguém percebe o quanto era magra...mas qdo comecei a conversar com meninas que faziam a mesma coisa e leas falavam você deve tar linda, aí não quiz parar mais, elas me incentivavam muito e me sentia bem...mesmo com dores no corpo, aftas que davam muitas eu continuei....Ate que comprei uma revista que falava sobre anorexia e bulimia e li essa revista e vi o que tinha mas achei que não era nada q ia passar que quando eu quisesse parar ia conseguir, mas não foi bem assim, não consegui parar, mas tinha vergonha de contar, da minha família não entender. Tomava laxante, diurético, acabei com minha saúde.

Mas comecei a desmaiar demais, até q fiquei um dia inteiro no hospital com dores tomei soro pois tava super desidratada, meus dedos ficaram roxos, minha lingua enrolou minha mãe acho que eu ia morrer foi uma das minhas piores crises, aquele dia fiquei com medo de morrer mas afinal era aquilo que queria morrer, pra não ter que comer mais....não suporto comer...cheguei a ficar 3 dias sem comer so comendo gelatina....meu estômago doía muito, cheguei por diversas vezes vomitar sangue pra ter certeza que não tinha nada no meu estômago, isso se repetiu muitas vezes.

Acho que meu anjo da guarda ou Deus me notaram, e me mandou um cara lindo, que me ajudou durante dois meses fez eu começar a comer aos poucos, ir vendo que eu era linda do jeito que era não precisava ser magérrima pra ele me amar, até que dues tirou ele de mim aí eu não agüentei comecei tudo de novo.. sem ele eu não consigo. Mas ele me deu coragem pra eu contar a minha família e pedir ajuda!!!!! Depois que ele morreu rezei muito pra ele vir me buscar, mas não e minha hora ainda.

Tenho que mostrar pra mim, pra minha família que eu venci essa doença e que ela não vai me vencer.

Tenho medo de não ser forte o suficiente, de falhar e muito difícil.... estou em tratamento com psicólogo, psicoterapeuta, psiquiatra, nutricionista, cardiologista, endocrinologista, tenho recaída várias, não to curada eu sei mas sei que tenho que ter consciência de muita coisa que eu não tenho...

Espero um dia estar curada, sei das conseqüência que isso me trouxe, tenho muita dor nos ossos, muita dor de cabeça, e como pouco...quase nada; comecei o tratamento faz pouco tempo, são apenas 3 meses, sei também que é um tratamento longo. Tenho apoio da minha família que e o mais importante, tenho tanto medo de não conseguir, de morrer mas as vezes e maior que a minha vontade, não consigo calculo tudo que como pra não passar de 500 calorias, tenho pavor de engordar, quando exagero ainda vomito não sei me controlar...Peço que coloquem esse depoimento pra todos verem que não façam apologia a anorexia, que não entrem em salas de bate-papo que apoiem isso. pois quase morri...e não quero ver outras meninas morrendo por causa disso...pois as conseqüências serão eternas. Deixo um abraço a todos e que não desistam e peçam ajuda não tenham vergonha!!!

segunda-feira, 30 de março de 2009

Depoimento : medo de ter ou tenho ?

Oi, eu tenho 13, eu tenho mais ou menos 1,53 e peso 39kg, mais já pesei 35kg, na verdade eu acho isso bem normal, e eu sinto uma necessidade intensa de emagrecer, eu queria chegar aos 30 kg, mais eu não sei como, eu tenho que comer pra não encherem meu saco, só que a comida me dá enjôo, e muitas vezes, quando eu termino de almoçar eu sinto tanta vontade de vomitar, mais eu tenho medo que descubram, de vez em quando eu consigo, tem que ser tudo de forma bem disfarçada para que ninguém perceba ou sequer desconfie. Eu não acho que eu esteja doente, ou nada do tipo, eu só acho que eu preciso emagrecer, embora eu acho que isso é normal eu.. enfim, as pessoas costumam insinuar as vezes que eu estou com anorexia, mais eu realmente acho que não tem fundamento, mais sei lá, eu tenho medo de ter, mais eu tenho mais medo ainda de engordar, e por isso que eu preciso emagrecer :x

quinta-feira, 26 de março de 2009

Anahí Campanha Contra Anorexia


Anahí lança campanha contra Anorexia:

"Quero informar, informar tanto as pessoas que tem esse problema, como as pessoas ao redor, como a família, como os pais, eu creio que essa campanha pelo menos servirá para que as pessoas digam: eu tenho isso?", disse Anahí perguntada sobre a campanha.

“Estava muito mal, fiquei três anos inativa porque não podia fazer nada. “Depois ocorreu com o meu coração [deixou de bater por alguns segundos] e quando voltei, pensei: não posso continuar assim, quero viver, lutei para seguir em frente e depois tive a oportunidade de estar em ‘Rebelde’”, disse.

A quatro anos atrás Anahí enfrentou cara a cara o problema da anorexia, a cantora consiguiu superar a doença e decidiu romper o silêncio. "Eu pessoalmente sentia muito essa responsabilidade e creio que estou em um momento da minha vida em que posso abrir meu coração e dizer um pouco com palavras lindas e com um pouco de esperança que um dia eu superei esse problema, qualquer um pode, então queremos dar uma luz de esperança", disse a cantora.

Os números são alarmantes, desde 2005 vem subindo muito o número de mulheres que tem anorexia e bulimia, porquê as meninas se preocupam em fazer dieta desde os 6 anos de idade.

Para Anahí o começo dessa campanha é apenas o começo de um grande sonho, sua meta é converter esse sonho "em uma fundação onde poderemos dar terapias gratuitas e onde iremos ter pessoas se curando, então desejo que se realize".

quarta-feira, 25 de março de 2009

Depoimento; entendo melhor minha filha

Minha filha tem anorexia há 7 anos depressão bipolar entre outras...quero parabenizár por esse site. ele eh uma ajuda muito grande a amigos e familiares que querem entender melhor e poder ajudar. eu que sou um pouco leiga, pude com esse site a conhecer melhor minha filha. Estive no Brasil na tentativa de ajuda-lá, foi pior hj ela não fala comigo, rejeita o irmão (por parte de mãe) e ate o ameaca, agora posso compreende-la melhor.

terça-feira, 24 de março de 2009

Professora morre de anorexia


SÃO PAULO - A professora de inglês Beatriz Cristina Ferraz Lopes, de 23 anos, é mais uma vítima da anorexia no interior paulista. Ela morreu pesando apenas 34 quilos, em Jaú. A professora passou mal em casa, onde teve uma parada cardíaca. Socorrida ao hospital, ela teve mais duas paradas e não resistiu. Familiares e amigos disseram que Beatriz era obcecada por emagrecer.

Na adolescência, ela chegou a pesar 100 quilos. A professora, neste ano, parou de se alimentar, chegou a pesar 27 quilos, e teve que ser internada em uma clínica de Jaú para recuperação. Após três meses de internação, com alimentação a base de soro, ela foi liberada. A família dizia que ela sofria de depressão. Formada em Letras, Beatriz participava de comunidades para emagrecer em um site de relacionamentos na internet. Em novembro, três jovens paulistas morreram em conseqüência da anorexia. O primeiro foi o da modelo Ana Carolina Reston Macan, de 21 anos, que tinha 1,74 metros e pesava apenas 40 quilos. Em Araraquara, a estudante Carla Sobrado Casalle, de 22 anos, faleceu três dias depois que foi internada. Ela tinha 1,74 metros e pesava 55 quilos. Em Araçatuba, a manicure Rosana de Oliveira, de 23 anos, morreu com apenas 38 quilos.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Depoimento : ela não me ajudou..

eu só faço uma refeição por dia, normalmente composta mais por folhas que por qlq outra coisa. Tenho problemas cm alimentação desde os 10 anos aproximadamente, e durante esse período cheguei a comer menos ainda. Perdi muito peso, até hoje ouço esse tipo de comentário. Minha mãe chegou a dizer que eu estava cm anorexia mas não fez nada a respeito, apenas insistia pra que eu comesse. até hoje, eu acho que preciso de alguma orientação psicológica, talvez não muita pq tenho a consciência de que preciso de ajuda, coisa que pouca gente é capaz de admitir (eu acho). Hoje eu tenho 1.70 e 56 kg, me sinto a gorda das gordas e sempre que algo me acontecesse eu culpo minha aparência. Sim, minha pergunta: já é anorexia fazer só uma refeição? Não sei se é importante mas eu só como no horário do almoço.

domingo, 22 de março de 2009

Verificações e Necessidades


Sendo uma doença da adolescência e do crescimento, requer a ajuda de:

-um medico que faça a observação e avaliação do estado físico da doente;

- um psiquiatra ou psicólogo, com formação na área da psicoterapia individual e de terapia familiar.

Quando, no caso das mulheres, verificar:

-a ausência de três menstruações seguidas;

-um peso 25% abaixo do que deveria ser o peso normal;

-tendências suicidas e depressivas;

-insucesso nas varias tentativas de convencer a pessoa a alimentar-se

-o internamento numa unidade hospitalar especializada é inevitável, visto que se não for devidamente tratada, pode levar à morte.

sábado, 21 de março de 2009

Depoimento: impressionada comigo..

Tenho 17 anos, 1, 65 metros e aproximadamente 49 quilos. A dois anos atrás era modelo, mas passei a comer mais do que devia, e todos sabem que nessa carreira em hipótese alguma pode-se estar acima do peso; Então me lembrei de um filme que vi em certa ocasião que justamente falava sobre BULIMIA e ANOREXIA. . . até aí nem sabia que essas doenças existiam. . . mas no filme as protagonistas forçavam o vômito e paravam de comer. . . então passei a achar que aquelas duas alternativas eram a solução de meu problema. Passei uma semana comendo e vomitando sendo que às vezes nem engolia, eu já tinha um recipiente ao lado para eu mastigar e cuspir. . . (nojento não?! mais aposto, que quantas fizeram isso sem ninguém saber heim!?!). Em cinco dias consegui emagrecer 5 quilos, para mim foi a fórmula de dieta mais eficaz que vi até hoje, mas deixa muitas seqüelas. . . como a culpa de comer a sensação de impotência diante da comida etc. Bem mais depois dessa semana, fiquei um ano sem ter tido essa vontade de comer para depois vomitar, talvez porque uma época comecei a achar muito trabalho forçar para vomitar. . . Mas nessa semana comecei a me achar gorda demais, me olho no espelho e o que vejo é um abdome enorme!!só isso que vejo e nada mais, embora todos digam que estou magérrima, que não tenho onde mais emagrecer pois, me acham magra demais. Mais eu não! estou gorda e pronto! Comecei novamente a forçar o vômito, para me sentir melhor e com menos culpa, a cada refeição feita, o banheiro é minha próxima parada. Apesar do tempo não ninguém que saiba do meu problema, a não ser meu noivo que me ameaçou de voltar a fumar se eu voltasse a ter esse problema, que segundo ele é besteira! mais não consigo contar para ninguém porque sei que não vou conseguir parar, é muito difícil, a culpa de comer e é maravilhosa a sensação de sentir o estômago vazio, tirando a péssima sensação de fome mais. . . AH!!Não sei, não consigo aceitar a idéia de que isso é grave e não tenho com quem contar também, para terem uma idéia ontem acabei de jantar e logo falei que ia para o banho, só que meu noivo desconfiado ligou a luz de fora e ficou perto da janela do banheiro pensando que eu iria direto para o vaso sanitário vomitar. . . errado eu liguei o chuveiro entrei fechei o box, sabendo que ele estava me vigiando, disfarcei e vomitei dentro do box, no ralo do banheiro, então quer dizer até eu fiquei impressionada comigo mesma. . . Mas como ia dizendo não consigo aceitar a idéia de que posso realmente ter bulimia, sendo que li alguns relatos e a idéia não aceitar a doença é só dos que tem anorexia. Minha pergunta é com as informações que dei de mim a vocês, quero a confirmação se sofro ou não sofro de bulimia e se pode também com a minha não aceitação eu sofrer de anorexia. Também queria saber por que sinto dor no estômago até quando vou comer algo nem que seja um pedaço minúsculo quase invisível se carne ou qualquer coisa parecida, até com meio gole da água mesmo e porque cessa a minha dor após o vômito, e mais ou menos umas quatro horas depois volta, queria saber se dores de cabeça consecutivas sendo que nunca as tive, são um sinal dessas doenças e insônia também, mal humor, depressão. . . O site é maravilhoso além de podermos tirar nossas dúvidas tem tudo o que precisamos saber. . . Continuem esse trabalho, pois ajudou e vai continuar a ajudando pessoas como eu e tantas outras a viver o mais intensamente possível.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Causas


Crê-se que algumas das causas são:

Pressões culturais relacionadas com a auto-imagem, com o conceito de beleza, com o corpo e com a moda (referidas acima).

Uma recusa em crescer e em aceitar a sexualidade - isto é, uma recusa em aceitar a passagem da fase criança para adolescente e depois para mulher.

Relações familiares - uma adolescente sente-se insatisfeita e talvez tenha uma mãe neurótica ou pai distante e frio.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Depoimento: Desesperada

Estou desesperada. Preciso muito de sua ajuda.

Tenho uma amiga com a mesma idade que eu e que está sofrendo seriamente de anorexia. Já faz mais de um ano. Ela começou um tratamento. No princípio gostou, tomava alguns remédios antidepressivos. Hoje, já não vê lógica no tratamento, e diz que sabe que vai morrer nisso mas que prefere isso a mudar seus "novos hábitos". Ela está muito magra, seca. Não menstrua naturalmente (toma anticoncepcionais). Atualmente tem tido muitas tonteiras e pressão baixa. Ela é minha melhor amiga. Veio p/ XX estudar e mora na casa da tia junto com o irmão. A tia não é uma pessoa amorosa e confiável, logo, ela só tem a mim e ao irmão, mas só eu sei. Estou com muito medo de acontecer algo, pois além de amar muito ela, vou sentir-me eternamente culpada, afinal de contas estou calada e inerte a situação.

terça-feira, 17 de março de 2009

Sinais de Alarme


A jovem:

começa por manifestar uma preocupação invulgar pela sua dieta;

lê os rótulos das embalagens para determinar o numero de calorias a ingerir;

não come as gorduras, pão, batatas e fritos;

arranja desculpas para não aparecer às refeições, preferindo comer no quarto;

na escola passa o dia interior com um iogurte ou com uma maça;

causa conflitos na família sempre que se recusa a comer.

Numa fase mais avançada a jovem:

recorre aos laxativos e diuréticos;

faz exercício físico intenso;

tem necessidade compulsiva de emagrecer, para além dos limites do que seria razoável;

tem uma visão distorcida da sua imagem - embora "pele e osso",continua a "ver-se" gorda;

torna-se paranóica, chegando ao ponto de contar os grãos de arroz no prato.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Depoimento : só por minha vontade

Oi meu nome é Cris tenho 19 anos e tive bulimia e anorexia por 3, hoje estou curada mas antes disso rodei vários médicos tomei vários remédios, cheguei a tomar 8 tipos diferentes e nada só quando estava quase morta aceitei ser internada por 1 mês e hoje estou viva graças a minha força de vontade e a Clínica q me tratei e quero tentar ajudar pessoas com essa doença q mais parece um ciclo fatal. . beijos e força.

sábado, 14 de março de 2009

Influências


Já lá vai o tempo em que ouvíamos dizer "gordura é formosura".
Agora, a palavra de ordem é "magreza é beleza".

Este novo mito, cultivado pelos modelos que desfilam nas passarelas, e que aparecem nas capas das revistas, tem produzido um impacto tremendo em milhares de adolescentes, que interiorizam a ideia de que "ser magra é ter sucesso", ou "ser magra é ser bonita".

Pressionadas por estes conceitos de natureza cultural e social, as jovens acabam por ser vítimas de uma doença grave, designada nos manuais de psiquiatria por Anorexia Nervosa. Este é caracterizado pela recusa do doente em se alimentar, de acordo com os padrões normais, e pelo desejo obsessivo de emagrecer. A Anorexia Nervosa atingiu proporções epidémicas na América nos anos 80 e, em Portugal, encontra-se numa fase de expansão, calculando-se que cerca de 12% dos jovens sofre já duma tendência para desenvolver a doença.

Esta "fobia do peso" é nove vezes mais frequente nas mulheres do que nos rapazes, pois são elas que têm maior preocupação com a beleza física e com a sua auto-imagem. Geralmente é por volta dos 16 anos que se torna mais evidente, embora também possa aparecer em mulheres adultas.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Depoimento: ajudar e ser ajudada

Meu nome é Vivian, tenho 20 anos e sofro de anorexia. Comecei com este terrível problema quando tinha 13 anos, já fazem sete anos que tenho este mal. Se eu for contar toda minha história, nem sei por onde começar, só sei que sofri muito e ainda continuo com muitos problemas. Cheguei a ficar muito mal, comecei a fazer regime, ginástica e quando fui ver perdi totalmente o controle e fiquei só na pele e osso. Não queria comer de jeito nenhum, só queria saber de emagrecer cada vez mais. Comecei a rotina de psicólogos, psiquiatras e nutricionistas para conseguir continuar a sobreviver, pois cheguei a um estado crítico, quase faleci. Mas graças a Deus consegui me manter viva. Fui internada por quase 3 meses para recuperar o meu peso, consegui mas foi muito difícil. Depois que sai da internação perdi tudo de novo, e para recuperar de novo foi um sacrifício e até hoje continuo assim perdendo, ganhando peso, mas não consigo recuperar meu peso normal. Tenho pavor de engordar, vivo contando calorias, pensando em comida o dia todo, é uma perturbação que não agüento mais. Continuo com minha psiquiatra, com medicamentos e vira e mexe procurando médicos para me ajudarem. É uma luta muito difícil que ainda não consegui vencer, mas espero conseguir. Meus pais, coitados sofreram muito e ainda continuam, eu não queria isso. Espero me corresponder com pessoas que passam ou passaram pelo mesmo problema, espero poder ajudar ou ser ajudada por alguém, estou precisando muito.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Atualidade

A anorexia é um sintoma contemporâneo, onde o portador desse distúrbio alimentar, indiferente aos riscos de vida que seus atos obstinados acarretam, segue comendo absolutamente nada.

Ele mostra sua indiferença às súplicas médicas e familiares, horrorizando-os com seu corpo disforme, "pele e osso", "nada querendo saber" sobre os efeitos dos seus atos e sobre os transtornos metabólicos e hormonais.

A anorexia não é somente ausência de apetite. É também uma "anorexia mental", uma inapetência generalizada.

Da mesma forma que não come nada, não demanda nada. Deve-se porém considerar que, além de fechar a boca para a comida, ele também a fecha para a fala, para a consciência de suas queixas.

Anorexicas sabem que mantém uma relação anormal com a comida, sabe que dessa forma arrisca a sua própria vida, sabe que as alterações metabólicas e hormonais afetam sua saúde orgânica, mas ele mantem esse saber fora da sua fala.Ele se torna escravo do não comer, e também do não dizer nada sobre isso.

Mas por que ele não pode dizer, ou o que ele não pode dizer?
Sua boca vazia e fechada denota uma crise em relação ao impossível de dizer.
Na maioria das vezes é impossível dizer sobre tudo que se passe dentro de si.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Depoimento de uma Mãe

Tenho uma filha de 16 anos que a 1 ano e meio teve anorexia. Gostaria muito de poder me corresponder com pais que conviveram e ainda convivem com esta doença, não sei se doença ou melhor dizer, esta experiência dolorosa. Passei por momentos difíceis e acho que consegui vencer. Tenho um pouco de informação para passar, que considero de grande importância para quem está vivendo este momento de luta. Pais, não se desesperem. seu apoio é muito importante para sua filha, nesta fase difícil. Sei que nossa força e nosso amor podem vencer qualquer batalha. Acreditem em Deus. Espero poder receber mensagens de pais que queiram saber mais do problema e como enfrentá-lo.

terça-feira, 10 de março de 2009

Família


Prepare-se para uma luta de anos. A família tenta ajudar mas a paciente não quer ser ajudada.

A necessidade de controlar o peso e alimentação, os cuidados para que ela tome o remédio certo e para que não tome os laxantes são uma batalha diária.

Melhoras iniciais, no começo de cada tratamento não significam nada. O tratamento se arrasta por anos a fio.
As recaídas e a cronificação com baixo peso e isolamento social são mais freqüentes do que a cura completa.
As pacientes mudam de médicos com a esperança de "dar um baile" mais fácil .A família se cansa e procura outras alternativas.

Por mais desgastante que seja o tratamento, existe um fator que a família nunca pode esquecer: o aumento de peso pode curar uma Anorexia mesmo que esse aumento de peso seja forçado. Nesta época de todos serem politicamente corretos e procurarem causas e explicações para tudo, é difícil convencer as pessoas disso, mas os trabalhos científicos comprovam cada vez mais essa antiga constatação

segunda-feira, 9 de março de 2009

Depoimento: Meus pais não acreditam

Eu não sei se ainda tenho um transtorno alimentar, mas acredito q sim. Tenho certeza de que já tive e passei por uma fase anoréxica e bulímica, pois já fiquei 6 dias sem ingerir alimento algum ou água para q eu pudesse emagrecer, já perdi 23 kg, 15 deles em 2 meses e o resto ao longo dos últimos 18 meses. Nesses 18 meses eu já passei até 6 dias sem comer e nem beber nada, já tomei mais de 25 comprimidos de laxantes de uma só vez, já passei mais de 5 horas diretas fazendo esteira, vomitei muito no chuveiro pela introdução de dedos e outros objetos e por beber água quente p/ dar ânsia ( e continuo vomitando), adquiri anemia, constipação crônica, amenorréia, problemas cardíacos e muitos outros problemas e ainda sofro muito com tudo isso, só que minha família (pai, mãe e irmã) apesar de saberem de tudo isso fingem não saber de nada, pois isso causa tristeza neles. Mas eu preciso muito da ajuda deles e eles não me deixam nem tocar no assunto, pois não aceitam e dizem que é tudo frescura minha, mesmo após ter visto um psicólogo na tv praticamente descrevendo tudo o que acontece comigo ( e eles sabem disso tudo). O que eu faço? Minha mãe não aceita nem que eu vá ao psicólogo pq finge p/ ela mesma que eu não tenho nada, quando sabe que eu não estou bem. Minha resistência está muito baixa e pego infecções facilmente. Preciso da ajuda de vocês, de um conseLho para convencer meus pais a não ignorar o que está acontecendo comigo e me ajudar.

domingo, 8 de março de 2009

Tratamento

O principal objetivo do tratamento á ganhar peso. É aí que a coisa toda complica. Começa o famoso "enquanto não descobrir a causa ...", "quando descobrir a causa ...", "não adianta obrigar a comer enquanto não descobrir o porque..." etc.

O fato é que as pesquisa mostram que o mais importante de tudo é normalizar o peso. Mesmo que seja contra a vontade da paciente. Pode ser através de muita paciência dos pais à mesa, pode ser através de recompensas e castigos, pode ser através de hospitalização. O importante é que ganhe peso.

Mas os pais, os leigos e muitos profissionais ainda acham que "tem que descobrir a causa", portanto o tratamento mais eficaz, que é o ganho de peso através de tratamento hospitalar quase nunca é feito.

Na prática, a internação hospitalar acaba sendo o último recurso, quando o estado de emagrecimento chegou num ponto em que a paciente começa a correr risco de vida.
  • Ou seja, a hospitalização, que deveria ser o primeiro recurso, acaba sendo o último.
Bem, como na prática elas não são internadas, tenta-se tratar com:
  • Antidepressivos.
Porque eles diminuem o caráter compulsivo dos vômitos, da distorção da auto-imagem, porque eles agem no Sistema de Neurotransmissores que estão alterados nessa doença. O tempo de espera para começar o efeito é de várias semanas; além disso a paciente não aceita estar doente e não quer tomar remédios (a não ser aqueles que a façam perder mais peso). Portanto aí já começa a primeira batalha entre os pais e a paciente. Existem muitos Antidepressivos diferentes e pode ser que as primeiras tentativas não tragam resultado. Nesse caso, é preciso ter paciência para uma tentativa com outro medicamento, que também precisará de algumas semanas para ser avaliado.
  • Psicoterapia.
É muito importante, embora geralmente as pacientes só vão ao Terapeuta para que a família as deixe em paz. Esse é um dos motivos pelos quais a Psicoterapia não se aprofunda, fica arrastada, parece que é um castigo semanal para a paciente. A forma de Psicoterapia mais eficaz é a Cognitivo Comportamental (TCC).
  • Orientação Nutricional.

sábado, 7 de março de 2009

Depoimento: Morrendo aos poucos

oi, tenho 18 anos, não sei se tenho anorexia, acho q não, mas a 2 anos sofro de bulimia, tomo mais de 10 laxantes todos os dias, e diuréticos freqüentemente, não sei onde isso vai parar, mais ninguém sabe disso. Tomo inibidor de apetite a mais de um ano, tipo anfepramona, já tentei parar mais não consigo, o máximo de tempo q fiquei sem esses medicamentos foi um mês, na verdade estou viciada. já fui em psicólogos, psiquiatras e neurologistas. mas não consigo ser fiel ao tratamento. estou com anemia crônica, plaquetas baixas, e poucas proteínas no organismo. sei q estou muito mal, doente mesmo. mas não consigo parar. não sei c vai adiantar, nem sei onde essa mensagem vai parar, mas precisava desabafar. . . acho q estou morrendo aos poucos. . . to com medo e dopada.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Causas

A causa determinante é desconhecida. Quem já viu uma Anoréxica de 40 KG sair de um coma e continuar sem nenhuma crítica da situação sabe que o problema não pode ser apenas emocional.

Provavelmente existem componentes psicológicos e biológicos:

Psicológicos: Anoréxicas se imaginam tolhidas, sem liberdade, sem autonomia, controladas demais pela família, mesmo que objetivamente não o sejam. Explicações psicanalíticas sobre dificuldade de assumir o papel feminino, de se identificar com a figura materna etc., podem ser um assunto interessante para se discutir mas não costumam trazer benefícios para as pacientes.

Biológicos: familiares de anoréxicas podem sofrer de Distúrbio Obsessivo Compulsivo, Depressão, Bulimia, Pânico, Tricotilomania. O tratamento é eficaz com medicamentos que também agem nessas patologias

quinta-feira, 5 de março de 2009

Depoimento: vou ficar bem e ajudar !

Eu sofri com essa doença chamada Anorexia Nervosa tinha 17 anos e 66Kg cheguei a pesar 34Kg fiquei internada um mês e meio no hospital de Belo Horizonte MG, hoje tenho 19 anos estou pesando 47 Kg tomo anti-depressivo e faço tratamento psicológico pois ainda me sinto insegura com a doença eu tive depressão forte e não me recuperei ainda mas eu vou ficar bem um dia gostaria de poder ajudar essas pessoas que estão sofrendo dessa doença porque eu sei como elas estão sofrendo eu sei que se eu puder ajudá-las me ajudarei também peço a vocês que entre em contato comigo breve porque tenho certeza que a minha missão é de ajudar as pessoas. Sei todas sairão bem da doença é só acreditar.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Sintomas e Sinais

  • Emagrecimento. Anoréxicas com 42 Kg são consideradas de peso bom. Freqüentemente o peso chega a 36 Kg ou menos.
  • Vômitos. Provocados com os dedos, com cabos de colher, com arames, com contrações abdominais, etc. Elas vomitam no banheiro, no chuveiro, em vasos de plantas, sacos plásticos, papel higiênico, onde for possível. Se não vomitarem se sentem sujas por dentro e completamente "estufadas" por terem comido um grão de ervilha.
  • Quando se consegue que elas façam refeições com a família, sempre há um motivo para saírem da mesa logo que acabam de comer. Geralmente vão ao banheiro vomitar em segredo. "
  • Amenorréia (interrupção da menstruação). A menstruação pode cessar antes de perda de peso grave (a desnutrição não é a única causa da amenorréia) e pode voltar antes de um ganho de peso importante.
  • Destruição do esmalte dentário (por causa dos vômitos).
  • Pele seca e amarelada, cabelos finos, secos e quebradiços (pela desnutrição).
  • Excesso de exercícios físicos.
  • Visão distorcida do próprio corpo. As anoréxicas nunca acham que estão magras o suficiente. Elas se olham no espelho e vêem os seios e o abdomen grandes demais.
  • Uso (geralmente escondido) de diuréticos, laxantes, hormônios de tireóide e pílulas para emagrecer.
  • Comorbidade (doenças concomitantes) com Depressão, DOC principalmente alternância de fases com Bulimia.
  • Isolamento social. São retraídas, pouco expansivas, quase sem amigos, não tem namorado.
  • Adoram cozinhar e servir comida para os outros.
  • Geralmente são meninas inteligentes, perfeccionistas e bonitas.
  • Acham que o tratamento é totalmente desnecessário.
  • Vão ao médico apenas para que a família as deixem em paz.
  • Alternância com fases de Bulimia, quando comem tudo que está pela frente, a ponto dos pais terem que trancar a despensa da casa.

terça-feira, 3 de março de 2009

Depoimento: a cura depende de vc

Sofri de anorexia nervosa há um ano e cheguei a pesar 40kg para 1, 60 m . Fiquei esquelética e quando me olhava no espelho via banha e gordura localizada para todo lado. . . Minha mãe começou a se desesperar e, como havia parado ha 3 meses minha menstruação, me levou ao ginecologista. ele me pediu uma bateria de exames e detectamos que estava com vários problemas de saúde, inclusive anemia. Fiquei desesperada e me dei conta de que teria que engordar. Tinha emagrecido 25 kg por conta própria, e como tenho muita força de vontade, consegui deixar minha compulsividade por emagrecer de lado e começar a cuidar de minha saúde. Engordei comendo muita comida saudável e também o que tinha vontade, o que não fazia ha pelo menos 1 ano, o tempo em que a anorexia tomou conta de mim. Hoje estou muito bem de saúde, sarei de minha anemia e estou pesando 51 kg! não me acho gorda, me acho uma adolescente normal. . . Sou uma prova de que, mesmo quando você esta em plena escuridão, no fundo do túnel sempre haverá um rastro de luz para lhe guiar! -no FIM, tudo dá certo! se ainda não deu certo é porque ainda não chegou ao FIM!! você, que esta doente, tente se conscientizar de que precisa sarar o mais rápido possível, e isso dependo apenas de você!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Pais

Na primeira consulta os pais querem ouvir tudo sem "dourar a pílula". Em poucos dias acham que o médico foi muito "duro", "radical", ameaçador", etc. Meses depois verão que essa "dureza" tinha sentido. Por mais que os pais e os médicos achem que estão controlando a situação, as Anoréxicas são sempre mais espertas. Pelo menos no começo. Não acreditem em quem promete um jardim de rosas para o tratamento.

Em Anorexia Nervosa não existem jardins de rosas. O desgaste para a família, terapeutas, médicos e acompanhantes é grande. Raramente a paciente se trata por muito tempo com a mesma equipe que diagnosticou e iniciou o tratamento.

A doença mesmo sendo "curada", acompanhará suas filhas pela vida inteira pois a qualquer momento elas podem ter recaidas.

domingo, 1 de março de 2009

Depoimento : espelho

meu nome é Jacqueline eu tenho 13 anos eu quero fazer uma pergunta é pq toda vez q eu vou tomar banho eu me olho no espelho e me acho gorda eu falo pra minha mãe e pra minha cunhada q eu vou fazer uma dieta mas elas falam q so se for pra entrar na boca da garrafa, outro dia eu fui na farmácia me pesar tomei um susto daqueles eu tava com 43 kilos comecei a chorar tentei pesquisar na internet se eu estava acima do meu peso e qm so podia ver isso qm é maior de 18 anos tem dia q eu so choro com medo de ficar gorda eu queria saber se eu to ficando com algum problema ha tbm eu vejo na net pessoas falando q se eu quero emagrecer é so eu colocar o dedo na garganta q eu emagreço mas agora a minha garganta so vive doendo eu queria saber oq eu posso fazer pra emagrecer eu tenho 1,51 e peso 43 kilos