Pesquisar

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Ana Carolina Reston


Ana Carolina Reston foi mais uma vítima da Anorexia. A modelo morreu aos 21 anos, em razão de um estado gravíssimo de debilitação. Segundo informações da Folha de S. Paulo, a moça estava internada desde o dia 25 de outubro com insuficiência renal, ela apresentava um quadro de anorexia nervosa – passou a ter dificuldade de respirar e seu quadro geral evoluiu para uma infecção generalizada.

Com 1,74 m de altura, a modelo pesava apenas 40 quilos. Para manter a forma, ela vivia a base de maçã e tomates, alimentos que adorava. A prima da modelo, Geise Strauss, de 30 anos, contou que nos últimos tempos Carolina vomitava o (pouco) que comia.

Já com uma viagem marcada para Paris, o sonho de Ana Carolina foi interrompido por esta doença que atinge grande parte dos adolescentes e que, muitas vezes, o diagnóstico acaba sendo detectado tarde demais. Uma vez que a vítima não acredita que está passando por algum problema, já que não consegue se enxergar magra.

Quando tratadas, as vítimas do distúrbio alimentar acabam carregando para sempre suas conseqüências, como a dificuldade de voltar a ganhar peso. Com a possibilidade de recaídas, é necessário manter um acompanhamento com psicólogos e psicanalistas.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Pergunta : Antidepressivos

Estava lendo alguns sites americanos pró anorexia e descobri que muitas meninas fazem uso do antidepressivo ZOLOFT. Qual é a atuação deles nesses casos?? O remédio ajuda a emagrecer e/ou perder o apetite ?

Nenhum dos dois. Como a Anorexia tem uma característica fortemente obsessiva, os Antidepressivos costumam ajudar no tratamento.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

É anorexia ?

Sempre fui gorda, tenho 12 anos e tem 6 meses que faço dieta, em janeiro comecei a perder uns três quilos comendo de tudo, depois de perceber que estava emagrecendo comecei a fazer dieta, fiz a tal da dieta dos pontos e desde fevereiro perdi 19 kilos, tenho 1, 57 e 44kg, meu cabelo está ressecado, minha menstruação está atrasada dois meses, às vezes me dá um desânimo, mas não vomito, não tomo nenhum remédio, fiz exame de sangue e deu tudo normal, minha família diz que estou doente mas acho que não, parei de comer muitas besteiras, só como as coisas contando pontos e calorias. Será que estou com anorexia?

Sim, parece que vc está com um distúrbio alimentar. Procure um psiquiatra para especificar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

OBS: a foto não é quem mandou a pergunta

domingo, 26 de abril de 2009

Luta contra anorexia é lei


Um grupo de modelos e representantes de agências em Brasília visitou a Câmara Legislativa nesta tarde para divulgar o combate à anorexia e aos distúrbios alimentares. Os visitantes estiveram em plenário e manifestaram apoio a dois projetos de autoria do deputado Paulo Roriz (DEM), que tratam do tema.

O projeto de lei 239/07 - aprovado pela Comissão de Educação e Saúde (CES) e que irá a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nos próximos dias - proíbe a participação, em eventos de moda no Distrito Federal, de modelos com Índice de Massa Corpórea (IMC) abaixo de 18,5, mínimo considerado saudável pela Organização Mundial de Saúde. O segundo projeto (PL 148/07) institui campanhas educativas na rede pública de educação e saúde no DF para orientar a população sobre distúrbios alimentares, como a bulimia e a anorexia nervosa.

De acordo com Paulo Roriz, é preciso agir contra essa realidade, mudando o padrão estético de que magreza excessiva é sinal de beleza. "É preciso também promover a conscientização dos pais para que eles possam reconhecer os primeiros sinais da doença e agir preventivamente", esclarece o deputado. Os sintomas mais frequentes desses distúrbios são perda excessiva de peso, grande preocupação com a aparência, desculpas para evitar comer na frente dos outros, uso de laxantes, diuréticos e remédios para emagrecer.


FONTES: Bruno Sodré de Moraes - Coordenadoria de Comunicação Socialhttp://www.cl.df.gov.br

sábado, 25 de abril de 2009

Será que tenho anorexia ?


Tenho 15 anos, 1.68 e 51kg, tenho bulimia ma já faz umas 3 semanas que eu não provoco vomito, mas o problema e que agora eu não gosto mtu mais de comer, não importa o que eu comer ou tomar já me deixa hiper satisfeita e não consigo comer mais nada só depois d algumas horas, ultimamente eu só almoço, e como alguma fruta a tarde ou só um chá, minha família toda tá mtu preocupada e tenta me faze come, mais ninguém da minha família sabe do que eu estou passando e eu acho que nem vão saber pois eu não consigo falar sobre isso, só tem uma amiga minha que sabe ela queria me levar ao médico mas eu não deixei. E agora estou com essa dúvida: sera que eu estou com anorexia? preciso muito saber disso. obrigada!

Olá Alessandra, se você ainda não está com anorexia, no mínimo um quadro de anorexia "parcial" você já tem. O diagnóstico definitivo precisa de mais informações que são colhidas em uma consulta médica. Sua família e sua amiga estão certos em se preocupar com você. Aceite a ajuda deles e procure um profissional. Eles podem até não te entender, mais o profissional especializado poderá entender e ajudar você. Dra. Ilka Ramalho Vecchiatti

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Quero ser sempre magra

A mãe da manicure Rosana de Oliveira, 23 anos, que morreu na semana passada em Araçatuba (SP), vítima de anorexia, encontrou uma carta em que a filha pede para se curar da doença e implora para continuar magra. Rosa Maura Marques contou que não imaginava que o caso da filha fosse tão sério.

"Peço a Jesus (....) quero ser sempre magra, de 43 quilos no máximo, e nunca mais engordar, mesmo comendo", diz a carta, que não tem data, segundo o jornal O Estado de S.Paulo.

Rosana moreu na em decorrência de complicações devido a anorexia. Ela recebia tratamento contra a doença há três anos. Com 1,68 metro, pesava 38 quilos quando morreu.

Fonte : Redação Terra

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Pergunta e Resposta: Distúrbios

P: Bom tenho 21 anos há uns dois meses tive um distúrbio alimentar tudo que ingeria, vomitava daí acordei às 2 da manhã com dor no estômago incluindo diarréia e vômitos tive que ir ao médico e ele disse que estava com gastrite fiquei com vergonha de dizer que às vezes tinha este distúrbio depois que fiquei ciente desta doença resolvi me cuidar sozinha. Faço todos os dias um cronograma alimentar tipo hora certa de comer e evito ficar sozinha em casa quando fico invento fazer alguma coisa. Quero saber se estou fazendo certo ou o que devo fazer.

RP (MENTALHELP): Cristina, as medidas que você adotou são medidas comportamentais que podem ser úteis. Você também pode evitar ficar longos períodos sem comer porque isto favorece a ter uma compulsão. Outra coisa é que se você se descontrolar e comer muito deve evitar provocar o vômito ou usar algum meio para eliminar o que comeu porque este comportamento acaba "autorizando" o excesso alimentar, ou seja, você se permite comer um monte de comida porque sabe que depois vai vomitar, e isto mantém a doença por manter o ciclo compulsão-purgação. Se você sabe que não vai vomitar nem usar nada para tentar eliminar o que comeu, então você se esforçará mais para se controlar. Procure comer sempre à mesa de refeição e evitar comer fazendo outras atividades como assistindo televisão, dirigindo ou usando o computador, etc porque sempre que você está comendo e fazendo outra coisa ao mesmo tempo a tendência é comer mais já que você não presta atenção no que está comendo e assim não tem a sensação de ter comido ou de ter comido tanto. Também, procure comer devagar. Estas são algumas orientações que ajudam a controlar a doença, mas é necessário uma avaliação por psiquiatra especializado para definir a necessidade ou não do uso de medicamentos e para te orientar sobre psicoterapia que na maioria senão em todos os casos se faz necessária. Dra. Ilka Ramalho Vecchiatti

terça-feira, 21 de abril de 2009

Ex-modelo pede ajuda !




Ex-modelo que pesa 40 kg pede ajuda para curar-se da anorexia

É assustador imaginar que este debilitado rapaz e o saudável modelo da foto à esquerda são a mesma pessoa. Pesando apenas 40 kg, Jeremy Gillitzer hoje é praticamente pele e ossos.

Aos 36 anos Gillitzer desabafa: "Eu quero viver novamente". Ele sofre de "manorexia", termo popular para a anorexia, que afeta os homens. Pesquisas afirmam que a anorexia no sexo masculino é tão rara que afeta apenas 1 homem em cada grupo de 10 anorexicos.

"Eu quero servir de exemplo para todos, mas especialmente para os homens", disse ele em uma reportagem ao site Inside Edition. "Os homens sofrem as mesmas pressões que as mulheres sofrem. Manter-se dentro de um padrão estético é difícil."

Gillitzer sempre foi um rapaz saudável. Cresceu como qualquer jovem da sua idade, e pela sua boa aparência, logo seus amigos sugeriram que ele tentasse ser modelo. Embora sempre afirmasse que ficava nervoso em frente a uma câmera, Gillitzer apareceu em inúmeros anúncios, a maioria deles destacando seu corpo atlético.

A nutricionista Joy Bauer afirmou que o caso de Gillitzer não é o único. Segundo ela, a obsessão por uma imagem corporal perfeita é muito comum no sexo masculino, causando em alguns casos a anorexia. "A mesma coisa que as mulheres sentem ao olhar as revistas, os homens também sentem, quando vêem um corpo musculoso e dividido".

Gillitzer contou que a anorexia iniciou-se depois que ele passou por uma série de problemas pessoais. Ele começou a combinar exercícios rotineiros e cada vez mais frequentes, com uma dieta de fome. Ele habituou-se a comeu apenas uma maçã e metade de um sanduíche, todos os dias. Naturalmente, em pouco tempo, os músculos tão comuns a ele desapareceram e seu corpo começou a definhar, juntamente com a queda de cabelo e de dentes.

Ele afirma que hoje está tentando dar a volta por cima, mas admite que é muito difícil. No seu blog, Gillitzer conta um pouco do seu dia-dia e em muitos posts pede ajuda médica ou uma simples palavra de apoio

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Depoimento: saúde limitada

Hoje procuro viver da forma mais normal possível, apesar dos limites que hoje minha saúde me impõe!! Trabalho,estudo,namoro, saio com amigos. Faço tudo o que uma menina de 19 anos faz. Quando eu tava no limite da doença, eu já não saía mais de casa, dormia a maior parte do tempo.

No último mês, nem malhava mais, porque não tinha mais forças pra tanto. Era levantar e ficar tonta e muita náusea, dores no corpo. Fiquei muito impossibilitada. Hoje, tenho uma saúde muito limitada: não posso comer muitas coisas, pois tenho gastrite. Adquiri intolerância a alguns alimentos, tenho anemia. Perdi muitas coisas. Mas acho que, talvez, o que mais me entristece é ter que parar de estudar por causa da doença. Se alguém se incomodar com a palavra "doença", desculpem, mas prefiro dizer que é uma doença pra que as pessoas possam se conscientizar).

Terminei o 3º ano e tive que dar um tempo, pois tive problema de rins também, o que me deixou mais frágil ainda! Não sei dizer se algo teria evitado eu ter anorexia. Eu sempre fui muito preocupada com peso. Nunca fui gorda, mas não aceitava meu tipo físico. Sempre marquei em cima. Eu me cobrava demais, achava bonito gente bem magrinha, baixinha, quadril fino, pouco peito. Eu era aquele tipo ‘brasileira’, e aquilo me incomodava muito. Eu tenho umas tias um pouco acima do peso, e entrava em pânico só de pensar que eu poderia ficar como elas!” “Eu sou grandona, sabe? Alta, ossuda e sempre fui o tipo mulherão, e não gostava de ter bunda "boa" nem coxa grossa. Odiava que me chamassem de gostosa, ou ver os olhares masculinos direcionados pra mim. Então, o fato de sempre ouvir homens falar que não gostavam de mulheres magras, foi a solução que achei para não ser "vista”.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Irmãs morrem de anorexia


Morte por anorexia... Morreram porque não comiam e eram irmãs...!

Amanhã de terça-feira já ia longa e Eliana Ramos ainda não se tinha levantado. A avó, com quem vivia actualmente, dirigiu-se ao quarto para a acordar. O cenário com que se deparou foi devastador. Tocou a neta no rosto e sentiu-a fria. Elle, como era conhecida a modelo de 18 anos no mundo da moda, tinha morrido durante a noite, em Montevideu, no Uruguai.

A avó chamou imediatamente uma equipa médica que apenas confirmou o óbito. Segundo os médicos, Elle teria sofrido um derrame cerebral e estaria morta desde as 10h00 da manha.

Os pais estavam fora da cidade e foram apanhados de surpresa com a notícia da morte da filha. O regresso a Montevideu foi imediato. A tragédia abateu-se sobre a família seis meses depois da filha mais velha, Luisel Ramos, ter morrido em plena passerelle, durante a Semana da Moda na capital uruguaia.A jovem, na altura com 22 anos, foi vítima de uma paragem cardiorrespiratória, mas foi a anorexia a razão apontada para a causa da morte. Na altura, o pai de Luisel admitiu que a filha não se alimentava há vários dias.

E apesar do derrame cerebral ser apontado por fontes próximas da família como responsável pelo falecimento da Elle, o certo é que são muitas as vozes no país que apontam o dedo aos eventuais distúrbios alimentares da modelo. A morte das duas irmãs, num tão curto espaço de tempo, está mesmo a levantar um acalorado debate sobre os perigos da anorexia no Uruguai.

Elle, na moda desde os 16 anos, é a oitava vítima de anorexia nos últimos seis meses.A morte de Eliana Ramos levou o juiz Roberto Timbal a ordenar a realização da autópsia para que fossem apuradas as causas reais da morte. O corpo foi mesmo autopsiado no Instituto Técnico Forense daquele país, mas os resultados não foram divulgados.Segundo afirmou o director da Polícia Técnica, Lucas de Armas, ao jornal ‘El País’ no Uruguai, “ainda não se pode determinar a causa da morte” da modelo.

PAIS DESFEITOSOs pais das duas jovens estão desfeitos com a tragédia. Familiares próximos confirmam que o casal “está muito mal”. “A morte de Luisel ainda está muito presente”, concluíram.Elle assistiu nos bastidores à morte da irmã mais velha. Antes de entrar na passerelle, Luisel e Elle abraçaram-se fortemente. Afinal, era a primeira vez que desfilavam juntas. À entrada dos bastidores, Luisel caiu inerte.

CORRIDAS NA PASSERELLENo último fim de semana, cinco manequins foram proibidas de desfilar na ‘Passerelle Cibeles’, em Madrid. Motivo: foram consideradas demasiado magras. “O objectivo é certificarmo-nos de que as jovens são saudáveis e não têm uma influência negativa ao passar a imagem de obsessão pela magreza”, disse Susana Monereo, médica que avaliou as modelos. Já em Nova Iorque tinha sido usado o mesmo método.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Depoimento: eu venci !

Meu nome é Camila tenho 19 anos e Anorexia Nervosa. Desde dezembro de 2007 venho sofrendo com isso, fiz tratamento psiquiátrico já tem uns dois meses e melhorei muito. Já não vomito mais minha refeições e faço 4 por dia. Cheguei a pesar 47 quilos, hoje estou com 51 quilos e estou muito feliz, já não me sinto gorda, e me arrependo muito de :
Ter vomitado, amarrado pano na barriga para perde peso, fazer vários exercícios em casa, e ter ficado depressiva.
Agora um aviso para quem tem esta doença e muito difícil mais confie em Deus e em voce e tudo é possível!!

terça-feira, 14 de abril de 2009

Para tratar

Quanto mais depressa a(o) anoréctica(o) ou os familiares admitirem que algo não está bem, melhor.
A partir do momento em que a pessoa toma consciência de que tem um problema, isso representa um grande passo na sua recuperação, permitindo dessa forma iniciar-se o tratamento.
Uma vez diagnosticada a doença, a (o) anoréctica (o) passa pela terapia individual, terapia em grupo e terapia familiar.
O próprio médico de família irá conduzir o processo a um nutricionista e a um psicólogo, e se necessário a um psiquiatra. Os resultados levam demasiado tempo, pois trata-se de uma recuperação lenta e dificil.
Para que se inicie uma recuperação mais rápida e eficaz há que perceber as causas e os porquês que estão por detrás do problema. Só após isto se pode iniciar acções para iniciar a sua recuperação.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Depoimento : será q estou ?

tenho 15 anos,1.68 e 51kg,tenho bulimia ma já faz umas 3 semanas que eu não provoco vomito, mas o problema e que agora eu não gosto mtu mais de comer, não importa o que eu comer ou tomar já me deixa hiper satisfeita e não consigo comer mais nada só depois d algumas horas, ultimamente eu só almoço, e como alguma fruta a tarde ou só um chá, minha família toda tá mtu preocupada e tenta me faze come, mais ninguém da minha família sabe do que eu estou passando e eu acho que nem vão saber pois eu não consigo falar sobre isso, só tem uma amiga minha que sabe ela queria me levar ao médico mas eu não deixei. E agora estou com essa dúvida: sera que eu estou com anorexia? preciso muito saber disso. Obrigada!!

domingo, 12 de abril de 2009

Transtorno Alimentar


Revistas, televisão, filmes e comerciais estão constantemente a vender imagens irreais de garotas e mulheres que deveríamos imitar. Vamos deitar fora essas mensagens e falar sobre a realidade. Muitas de vocês passam por fases nas quais se sentem muito gordas, ou às vezes muito magras. Boa alimentação e exercício físico - e não dietas - são as melhores formas de manter um peso saudável. Porém, algumas vezes, as pessoas podem ficar obcecadas como a gordura corporal e em emagrecer. Isso pode ser um sinal de "stress" ou depressão, e pode transformar-se em desordem alimentar. Anorexia pode ser fatal e geralmente começa com a garota tentando emagrecer através de uma dieta restritiva. Por último, ela acaba comendo muito pouco, mesmo que esteja magra, e tem um medo intenso da gordura corporal e de ganhar peso.

Garotas com anorexia sofrem muitos efeitos colaterais sérios: o cabelo começa a cair, o período menstrual fica mais lento ou é interrompido, pode começar a nascer pelos de má aparência e, em caso extremos, ser fatal . Desordens alimentares são doenças sérias que precisam ser tratadas. Caso ache que você, ou alguém que conheça, tenha uma desordem alimentar, procure ajuda. Os transtornos alimentares acometem principalmente pacientes jovens (12 a 25 anos) e do sexo feminino (90% dos casos), sendo que indivíduos envolvidos em actividades que exigem manutenção da forma física estão sob maior risco para o desenvolvimento desses quadros. Estatísticas internacionais apontam uma prevalência de anorexia nervosa de 0.5 a 1% e de bulimia nervosa de 1 a 3% entre mulheres jovens

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Morte não assusta blogueiras pró anorexia


Nos blogs pró-ana e pró-mia, aqueles que defendem a anorexia e a bulimia, a morte da modelo Ana Carolina Reston aos 21 anos não foi motivo de susto entre garotas que sofrem desses distúrbios alimentares graves e que podem levar à morte se não forem tratados.

"O caso de Ana Carolina não foi o primeiro nem será o ultimo. Por que ninguém entende isso de uma vez? A verdade é triste e dói, mas é uma só", escreveu uma garota em seu blog.

"Eu odeio essa mídia maldita. Só fazem sensacionalismo em cima do sofrimento alheio e ainda chamam atenção para nós. Tá todo mundo no meu pé. Minha "sorte" é que engordei", publicou outra.

Na semana passada, o caderno Folhateen da Folha visitou cerca de 20 blogs pró-ana e pró-mia. Em quatro deles, o medo da morte é claramente menor do que a vontade de estar magérrima. E o que deveria ser um exemplo para uma boa alimentação se tornou uma espécie de estímulo na visão distorcida dessas adolescentes.

Atenta para essa questão, a estudante Carolina Esquilante Melo, 16, aluna do segundo ano do ensino médio, escolheu a anorexia como tema para sua monografia na escola. Ela pesquisou sobre o distúrbio em livros de medicina e nos blogs de garotas vítimas da doença.

"No começo eu achava que anorexia era uma futilidade, que essas garotas só queriam aparecer. Depois percebi que o que elas buscam é uma coisa imposta pela sociedade: essa exigência de ser magra. Elas só querem ser aceitas", diz.

"Todas as revistas falam muito de dieta. Na TV, o padrão de mulher bem-sucedida é sempre uma mulher magra. Acho errada essa imposição, principalmente na adolescência, quando os jovens estão se descobrindo. As pessoas são diferentes e precisam aprender a aceitar isso", ensina a estudante Carolina.

Leia a repercussão da morte da modelo nos blogs pró-anorexia (veja abaixo o glossário referente às pavras em destaque):

1 - "Olá pessoal!!!
NF indo bem. O assunto hoje é outro. Nestes anos q passei entre a Ana e a Mia, já vi muitas garotas morrerem, o caso de Ana Carolina não foi o primeiro nem será o ultimo. Porque ninguém entende isso de uma vez? A verdade é triste e dói, mas é uma só.

Hoje fiquei uns minutos esperando na fila do banco,do meu lado havia uma menina pouca coisa maior q eu e muito, mas muito mais magra mesmo, e na minha frente uma senhora com o corpo q costumam dizer 'normal' a tal mulher reclamava de tudo até da cor do cabelo dos outros, de um momento pra outro começou dizer q a gente tem q se cuidar pra não morrer 'Viu o caso da modelo né?'. Eu, como sou super ZEN, dei um sorriso e deixei ela falar, mas a garota não gostou muito do assunto e deu as costas pra ela, ignorando completamente.

Só estou dizendo isto pra vcs verem q não é motivo pra se assustarem, logo esse povo esquece."

2 - "Não estou muito bem, psicologicamente e fisicamente falando... miando muito, as vezes comendo muito mais do q o humanamente aceitavel, outras ficando s/ comer.. tinha parado de fumar, de beber meus chás.. Eu odeio essa mídia maldita.. só fazem sensacionalismo em cima do sofrimento alheio e ainda chamam atenção p/ nós.. Tá todo mundo no meu pé.. minha 'sorte' é q engordei.. pq se não ia ouvir da minha mãe."

3 - "Definitivamente agora eu me considero uma ana. Estou 4 dias sem comer e completamente sem fome e vontade de comer... Sabe o q me estimulou e ficar assim?? primeiro foi ler um blog de uma menina q estah no hospital por estar 3 semanas sem comer!! e outra... a modelo q morreu essa semana com 40kgs!! ok, deveria assustar, me estimulou... isso eh estranho demais... perdi 5kgs! estou secando... literalmente..."

4 - "Meu luto era óbviu né! pela modelo Ana Carolina Reston... ta q eu eu não conheci mesmo... ñ axo q o MÁXIMO disso é a morte ñ!! ela só keria ser PERFEITA... ñ queria morrer né!"

Glossário

NF - NF é No food (sem comida, em inglês), prática de cortar a alimentação por completo por alguns dias.

Ana - Ana é o apelido carinhoso com o qual as vítimas de anorexia se chamam. A anorexia é um distúrbio alimentar grave que faz com que meninas, mesmo magras, se sintam gordas.

Mia - Mia é o apelido carinhoso com o qual as vítimas de bulimia se chamam. A bulimia é um distúrbio marcado por episódios de compulsão alimentar seguidos de culpa.

Miando - Miar significa vomitar. As vítimas de anorexia e bulimia costumam vomitar para evitar que o organismo absorva os alimentos, muitas vezes ingeridos por pressão familiar ou para satisfazer momentaneamente a vontade de comer.

Fonte : Folha de SP

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Depoimento: dificil de sair

Tenho 13 anos e há 2 meses atrás apresentei caso de anorexia nervosa. No início achava tudo normal. Comecei a parar d lanchar na escola junto com minhas colegas. Depois comecei a me preocupar mais com a comida e regime (embora nunca fui gorda). As pessoas começaram a observar e comentar comigo que eu estava com anorexia. Aí foi só piorando. Comecei a parar d tomar café, depois jantar, depois almoçar, e por fim comia um biscoito por dia. Se eu comesse mais ficava complexada e me batia toda. Meus pais ficaram desesperados. Minha família entrou em choque. Comecei a fazer tratamento com endocrinologista e psiquiatra. Fiquei 10 dias internada. No início pesava 40 kg. Cheguei a pesar 25kg. Não tinha mais vontade de sair aprontar. Custava a ir pra escola. Meus amigos se afastaram de mim. Eu ficava o dia inteiro deitada sem comer nada chorando. Até que um dia me olhei no espelho e me enxerguei como uma caveira. Fiquei chocada e percebi que eu tinha que mudar. Graças a minha endocrinologista que me fez enxergar. Agora, em dois meses já estou pesando 38kg. Ás vezes eu como sem parar, mas quando vem a culpa tiro ela da minha cabeça e tento ocupar meu tempo com outras coisas. Gostaria de ajudar a quem está precisando. Pois eu sei que não é nada fácil sair dessa!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Depoimento: morte de perto

completarei 19 anos agora em abril. Sofro de anorexia desde o final de 2003. Essa doença me matava um pouquinho a cada dia. Hoje tenho 1. 62cm e 36kgs. Estou procurando me curar, desde o ultimo dezembro consegui engordar 3kgs. Consulto psiquiatras, mas a anorexia é uma obsessão. Eu costumava comer apenas 2 ou 3 pedaços de frutas por dia, hoje já consigo comer mais que isso. Cheguei a ficar 2 vezes internada por conta da doença. A última vez eu fui parar no CTI por inanição, eu não conseguia me levantar nem andar por causa da fraqueza. Foi então que conheci a morte de perto, e resolvi me tratar. Minha pressão arterial desabava por causa de diuréticos. Não sei se conseguirei me curar 100%, porém luto por isso. Então pessoas, tomem cuidado, pois anorexia realmente mata, não levem dietas muito a risco. Fora a depressão.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Depoimento: quero ser normal

Olá, eu sou a Rafaela tenho 1. 67 m 53 Kg, tive anorexia nervosa aos meus dezesseis anos, cheguei a pesar 43 Kg, como se não bastasse recuperei o meu peso e logo já vinha provocando vômitos, hoje tenho 20 anos e sofro desse transtorno desesperador, a bulimia, vomito tudo o que como umas 5 vezes por dia, não consigo me controlar, as pessoas não me entendem, mas até quando vou viver nesse inferno, já faz 5 anos que vivo assim, quero ser feliz, tenho tudo para isso mas. . . Faço tratamento com psicólogo e remédios, cheguei a ter melhoras durante esses 5 anos, mas ainda vomito muito e me sinto gorda, o q mais me incomoda é minha barriga, sou bailarina, antes conseguia ser mais magra, mas agora tenho muita compulsão e vomito muito, e isso faz com que eu apenas mantenha o peso e não emagreça, minha vontade era de voltar a ter a forçam que tinha quando tinha anorexia, mas não só as vezes eu consigo ficar sem comer. Utilizo uma escova de dente para provocar os vômitos, sofro muito com isso, me ajudem, quero viver como todos vivem e comer normalmente, penso em comer toda hora e quando como vomito tudo, me sinto suja por dentro, se não vomitar acho que tenho um ataque. Bom espero que alguém me ajude, entendo todas as pessoas que escreveram, sei como é sofrido, por isso vcs que entendem disso que estou passando me ajude.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Depoimento: depressão pós parto

Ola pessoal quero dizer a vcs que jamais desistem de seus objetivos, eu sei que naun é fácil lutar com esse tipo de doença, mas confesso que hoje estou muito melhor. Já tive depressão pós parto onde comecei a ter crises de pânico onde sofri 3 anos, depois que passou os medos não conseguia mais comer e fiquei muito magra e fraca onde meu psiquiatra me internou no hospital, fiquei quase uma semana, melhorei um pouco e comecei a engordar e a engordar onde meus sofrimento triplicou, me sentia horrível feia naun saia mais. Comecei a tomar muitos laxantes e diuréticos porque naun consegue mais vomitar, cheguei a tomar desinfetantes e outro líquidos que fariam vomitar mas nada adiantou, outra vez fui ao medico tomei vários remédios ate achar o ideal. Levei um ano p/ emagrecer os quilos que havia engordado (pesava 48Kg passei p/ 58Kg e hoje tenho 52kg e quando fui internada estava com 43Kg) e hoje cuido muito com alimentação, muitas frutas, verduras e bebida alcoólica só as vezes. Mas tudo que vocês possam imaginar eu passei, desde tentar suicídio(entrar quase em com alcoólica) ate desmaiar de tanto medo, se for conter em detalhes fico um mês escrevendo e não acabo. Mas é isso ai pessoal, um dia vocês vão olhar para traz e vão ver que tudo isso não foi em vão, eu aprendi muito, hoje cuido do meu filho super bem (quando engravidei começou meus problemas tinha 17 anos quando meu filho nasceu) fiquei apaixonada por psiquiatria onde posso ajudo pois sem auto ajuda não adianta nada nem remédios nem terapia, nem hipnose nem nada. . . no momento não tenho condições de tentar uma faculdade de medicina, mas mais tarde quando meu neném tiver um pouco maio vou tentar alguma coisa relacionado com psiquiatria.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Depoimento: ler sobre pessoas como eu

Tenho 19 anos, dos últimos 3 sofro de anorexia e bulimia. Hoje estava muito deprimida e resolvi tentar uma coisa nova: ler sobre pessoas como eu. Precisava acreditar que vale à pena continuar lutando contra esta doença e ler os depoimentos de pessoas que estão conseguindo me fez ter esperança de ter uma vida sem tanto sentimento. No início o impacto que senti ao ler as histórias de outras meninas foi tão grande que cheguei a ficar tonta, até agora não me sinto na minha melhor forma mas queria escrever um pouco do que acontece comigo. Em 98 comecei a vomitar e tomar laxante em parar e fui a diversos médicos que disseram que eu tinha gastrite. Iniciei um tratamento que não deu certo até que fiquei 2 semanas em um hospital porque ninguém conseguia descobrir o que havia de errado comigo. Fiz vários exames e o diagnóstico continuou sendo o mesmo. Fui avaliada pela Psicóloga do Hospital que falou que não era uma doença com causas psicológicas. Fui a uns 20 médicos até que meu clínico atual diagnosticou a anorexia. Eu não induzia vômitos, mas me sentia tão culpada ao comer que acabava vomitando sem ter consciência do que realmente estava acontecendo. Hoje faço terapia 2 vezes por semana e peso 51 kg, o normal para os meus 1, 62m mas já cheguei a pesar 39 kg. Agora tenho força física suficiente para lutar contra a doença, apesar de vomitar ocasionalmente. Mas me falta acreditar realmente que posso me curar. Parece que se eu sumir ninguém vai se importar. E me sinto muito sozinha, abandonada, como várias barras de chocolate por dia como se esta fosse a única maneira de ter algo "doce" na minha vida. E só me sinto pior com isso. Mas alguma coisa lá no fundo não me deixou desistir da vida até hoje. Decidi que vou deixar de tentar melhorar e agora vou ficar boa de vez. Eu sei como posso começar a fazer isso e só passar a fazer realmente. Escrever este depoimento foi o primeiro passo. Daqui a um mês espero poder voltar a escrever e mostrar como melhorei. Boa sorte para todos, e obrigada por escutarem o que eu tinha para dizer.