Pesquisar

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Anorexia Nervosa

Patologia associada à baixa autoestima, possui como principal característica a recusa do paciente em se alimentar regularmente. O anoréxico geralmente se acha gordo ou tem um medo incontrolável de engordar, por isso tenta controlar, de forma obsessiva, a quantidade de alimentos que ingere.

Considera-se anoréxico quem está entre 10% a 15% abaixo do peso médio correspondente à idade, sexo e altura. Mesmo assim, deve-se manter atenção constante nos hábitos alimentares, pois a privação de alimentos, mesmo que a pessoa ainda esteja dentro do peso, é prejudicial à saúde e em pouco tempo pode causar anorexia.

Em alguns casos, os anoréxicos comem em quantidade normal na refeição, mas, para compensar, passam longo tempo em jejum. Na maioria das vezes, buscam alguma justificativa para não comerem ou então apenas alegam a falta de apetite. Existem aqueles que não se acham gordos, mas que vivem um caos emocional. Estes têm medo de perder o controle sobre a quantidade de alimento que ingerem e passam a se controlar severamente.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Riscos

Sabe-se que a insatisfação com o corpo é um dos principais motivos para a incidência da anorexia, estudos vêm mostrando que o descontentamento com o físico está começando cada vez mais cedo.

Um estudo realizado em 2007 pelo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) indicou que entre os 1.183 alunos de 6 a 18 anos, matriculados no ensino fundamental e médio de 20 escolas em Belo Horizonte, apontou que 62,6% estavam insatisfeitos com o próprio corpo, embora mais de 80% do total estivesse dentro do peso normal. Cerca de 34% gostariam de ser mais magros e 29% de ganhar peso. Entre os insatisfeitos, 32% eram homens e 30,6% mulheres.

“O que mais chama a atenção é que não houve diferenças estatísticas significativas de acordo com a idade. O nível de insatisfação corporal foi praticamente o mesmo entre as crianças de 6 anos e os adolescentes de 18 anos”, disse Ana Elisa Ribeiro Fernandes, médica pediatra e autora do estudo, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

O problema é mais comum nos jovens pela formação da personalidade, pela pressão que sofrem e por buscarem uma inserção em grupos; entretanto, especialistas também alertam para a anorexia em idosos, principalmente por ser mais fatal e representa 78% das mortes pela doença

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Autoestima

anorexia em homensA baixa autoestima é um dos principais fatores da anorexia , muitas vezes adolescentes ou crianças obesas veem na perda de peso um meio para se sentirem bem aceitos pela sociedade, mas muitas vezes o culto ao corpo ultrapassa o limite do bom senso e da saúde, levando a transtornos alimentares como a anorexia uma das principais causas de morte das mulheres entre 11 e 20 anos em todo mundo.

Acredita-se que uma em cada 250 brasileiras tenha anorexia ou bulimia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou, em 2000, que de 1 a 2% das adolescentes sofriam com pelo menos uma dessas enfermidades. Hoje, estima-se que o número possa chegar a 5% e o conceito de que é uma doença tipicamente feminina está sendo mudado.
O Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares (Ambulim) do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (IPq-USP) divulgou esta semana que o número de homens que procuram ajuda para superar transtornos alimentares está aumentando. Em 2008, eles somaram 18% dos atendimentos no Instituto e o alerta é que esse é um retrato em todo o País.

De acordo com o psiquiatra Alexandre Pinto de Azevedo, do Ambulim, uma das dificuldades encontradas para o tratamento masculino é o preconceito em aceitar ser portador de uma doença conceituada erroneamente como exclusivamente feminina. A psiquiatra Paula Melin, do Núcleo de Transtornos Alimentares e Obesidade (Nuttra), no Rio, diz que vivemos uma mudança no padrão de beleza masculino, mesmo processo que aconteceu com as mulheres décadas atrás. “O corpo esguio, com músculos definidos, passou a ser mais cobrado dos homens. Um dos inúmeros dados que mostram concretamente essa mudança é o aumento de anúncios e artigos sobre beleza e tratamentos estéticos nas revistas masculinas”.

Mas vale lembrar anorexia não escolhe sexo, nem idade !

terça-feira, 4 de maio de 2010

Combate a Anorexia

Estão sendo realizados movimentos contra anorexia nos Estados Unidos, tudo iniciou devido aos sites pro-ana e pro-mia que são sites onde anoréxicas e bulimicas postam mensagens, frases e depoimentos defendendo seus estilos de vida o que na verdade não é pois são doenças graves que elas não sabem que estão vivendo.

Uma das iniciativas maiores foi , o “Body Project” que reuniu mais de 1000 adolescentes para explicar como elas têm comprado a ilusão de que só as magras são felizes. Elas são encorajadas a pensar e a escrever sobre o assunto. Em uma fase seguinte, os movimentos fazem atos antitranstornos para chamar a atenção, por exemplo colocam bilhetes com a mensagem “ame seu corpo como ele é” em livros de dieta e revistas de moda nas livrarias, escrevem mensagens positivas no espelho das escolas e enviam cartas de protesto para fabricantes de bonecas com medidas desproporcionalmente magras.

Também criaram blogs com chats onde reuniam meninas todas as semanas acompanhadas por um psicólogo para conversar sobre alimentação saudável

Resultados

A equipe da universidade acompanhou as meninas do grupo que tinham risco de desenvolver transtornos alimentares, por apresentarem problemas ou preocupações com seu peso. “Sua auto estima dependia muito de como elas se sentiam sobre sua forma e peso”. A iniciativa deu resultado, pois a maioria das meninas de alto risco não desenvolveu a doença. A constatação é surpreendente porque a anorexia é uma armadilha tão grande que muitas vezes as iniciativas de prevenção dão o resultado oposto.

É preciso ter cuidado até para combater a anorexia, afirma Táki Cordás, da Universidade de São Paulo, um dos maiores especialistas brasileiros no assunto. “Às vezes, uma menina que nem pensou nisso assiste uma palestra na escola contra anorexia e bulimia e pensa ‘nossa, mas essa é uma boa idéia para eu perder aqueles dois quilos’”, explica. Desde que haja o acompanhamento de um profissional, fazer as mulheres conversarem sobre isso e apóia-las é uma boa coisa.

A pesquisadora americana lembra o perigo dos sites pró-anorexia e pró-bulimia. “Estudos já mostraram que esses sites fazem mulheres saudáveis saírem com sensações ruins sobre sua imagem corporal e baixa auto estima”, disse ela. “Ainda não sabemos se as iniciativas antitranstornos realmente podem conter esse efeito, mas já detectamos que eles ajudam as mulheres que se sentem mal sobre si mesmas a ficarem um pouco melhor”, diz ela.

O especialista brasileiro defende há anos que os provedores da internet tirem essas páginas do ar. Mas reconhece que hoje o tamanho delas é muito menor do que já foi no passado. “O que sabemos, informalmente, é que as grandes líderes desses movimentos acabaram morrendo”.

A doença geralmente surge inocentemente com uma dieta que não parece ser um problema. Depois cresce e toma conta da vida da pessoas. No caso das anoréxicas, elas podem definhar até a morte, mas se recusam a comer. Os pesquisadores afirmam que para evitar a doença, a proximidade dos pais é fundamental. É recomendado que pelo menos uma refeição do jovem seja feita na presença da família. No caso de qualquer suspeita, é preciso o acompanhamento de um psiquiatra.

Eu acho que os blogs contra anorexia não devem ser extintos, pois conheço pessoas que usam estes blogs para desabafar sua triste realidade, a qual não consegue se livrar.

Os blogs contra anorexia devem procurar mostrar soluções para ajudar estas pacientes a sobreviver a ter uma vida normal... afinal nesse mundo tudo deve ter prós e contras se não não viveremos.