Pesquisar

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Rejeição

Mesmo após muito tempo de tratamento, mesmo após estar "curado", sabemos que as consequencias aparecem. Um dos medos que mais me perturbam, é o medo da rejeição. Na época da doença sempre fui rejeitada, fui excluída da sociedade pelas pessoas e a própria doença me afastou do mundo. Quantas oportunidades na vida perdidas? Quanta dor de não poder fazer oque as outras adolescentes com saúde faziam ?

è a minha adolescência não existiu, foi entre quatro paredes isolada do mundo. E agora como faço para voltar para o mundo ? Como faço para não sentir medo das pessoas ? Como não sentir rejeição ? Como se sentir seguro de que voccê não será ignorado ? Como posso ser normal ? Se antes sempre fui diferente ?

Alguem sabe ?

Alguem já viveu estes sentimentos ?

Como ter uma convivência normal ?

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Alimentação Saudável

Sei que a alimentação não algo que traz felicidade para pessoas com anorexia, mas é da alimentação que tiramos a energia para viver e sobreviver, por isso coragem. Esta postagem também serve para pessoas que buscam dicas de uma alimentação saudável.

Orientações nutricionais para uma alimentação saudável
:

- Faça pelo menos 3 refeições (café-da-manhã, almoço e jantar) e 2 lanches saudáveis entre estas. Não pule refeições.

- Inclua fibras na sua alimentação, como aveia , linhaça, pães integrais, soja, etc, pois ajudam na motilidade intestinal.

-Consuma legumes e verduras como parte das refeições e frutas nas sobremesas e lanches. São boas fontes de fibras, vitaminas e minerais.

-Coma feijão com arroz todos os dias ou pelo menos 5 vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom pra saúde.

-Consuma diariamente leite e derivados, são fontes de cálcio, importante para saúde dos ossos.

-Consuma carnes, aves, peixes ou ovos, retirando sempre que possível a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação, isso torna os alimentos mais saudáveis.

-Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas e outras guloseimas.

-Substitua a gordura animal por óleos vegetais(canola, azeite extra-virgem, girassol, milho, soja, etc.)

-Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.

-Beba pelo menos 2 litros (6 a 8 copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

-Torne sua vida mais saudável . Pratique pelo menos 30 minutos de atividade fisica todos os dias e evite bebidas alcóolicas e o fumo.

Fonte: Josiane Dalpiaz (Estagiária de Nutrição - UPF)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Bailarinas

BailarinaSegundo o site Saúde em Movimento ,grande parte dos bailarinos profissionais , sofrem de algum distúrbio alimentar, devido a alta insatisfação com o corpo e, por isso, assumem comportamentos alimentares de risco, o que, muito provavelmente está ligado às exigências da profissão e não a características patológicas de determinada doença, como por exemplo anorexia nervosa. Esta é a conclusão de pesquisa feita com 61 bailarinos de uma instituição profissional de dança do Rio de Janeiro por Lena Ribeiro e Gloria da Veiga, do Instituto de Nutrição Josué de Castro da UFRJ.

De acordo com artigo publicado na edição de março/abril de 2010 da Revista Brasileira de Medicina do Esporte, "a grande preocupação com a aparência e a forma física e a constante pressão para manterem baixo peso corporal são fatores que levam a distorções da imagem corporal e tornam os bailarinos um grupo de risco para o desenvolvimento de transtornos alimentares".
Lembrando que a imagem corporal consiste no modo pelo qual o corpo se apresenta para cada indivíduo. Esta imagem padrão de cada pessoa é induzida por crenças, valores, culturas e como no meio profissional dos bailarinos onde o corpo magro e esguio é altamente valorizado a imagem é mais importante que o próprio peso.

Para avaliar os possíveis transtornos de imagem e alimentar, as autoras utilizaram os questionários EAT-26 (Eating Attitudes Test) e BITE (Bulimic Investigatory Test Edinburgh) e a escala de silhuetas de Stunkard em bailarinos clássicos de ambos os sexos - 39 mulheres e 22 homens. Os resultados apontam que 31 bailarinos , mais da metade, "gostariam de ter a silhueta menor que a autopercebida como usual". Além disso, comparados àqueles do grupo que estavam satisfeitos com sua forma física, as cientistas identificaram comportamento de risco alimentar 2,71 vezes maior entre os que desejavam uma silhueta menor que a usual e 2,64 vezes maior entre os que desejavam uma silhueta abaixo da considerada saudável, grupo em que predominaram os indivíduos mais jovens e do sexo feminino.

Para Lena e Glória, o fato de mulheres e pessoas mais jovens assumirem atitudes de risco alimentar para ter uma forma física considerada insalubre não caracteriza um estado patológico primário, mas sim questões estéticas vinculadas às exigências da profissão. "Entre pacientes com anorexia nervosa, o desejo de ter silhueta menor que a considerada mais saudável está ligado à própria doença, entretanto, entre os bailarinos, as exigências físicas da profissão podem estar impulsionando esse desejo".

Cuidado bailarinos e bailarinas , continuem com a arte da dança, mas também continuem com suas vidas !