Pesquisar

Pesquisa personalizada

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Perder peso

perder pesoO paciente se recusa em manter o peso corporal em um nível igual ou acima do mínimo normal adequado à idade e à altura, sendo o seu objetivo de vida, perder peso.

A perda de peso é obtida através da redução do consumo alimentar total. Embora os indivíduos possam começar excluindo de sua dieta aquilo que percebem como sendo alimentos altamente calóricos, a maioria termina com uma dieta muito restrita, por vezes limitada a apenas alguns alimentos. Ainda existe a purgação  que é auto-indução de vômito ou uso indevido de laxantes ou diuréticos e exercícios intensos ou excessivos.

Como exemplo temos uma menina que comia uma xícara de café e um pão no café da manhã, a maior refeição do dia. Ao meio dia comia uma colher de arroz e cinco pedaços de carne em molho e a noite uma beterraba, na hora de dormir torcia que amanhecesse rapidamente para poder se alimentar, mas mesmo com fome não colocava uma bala na boca e nem mesmo uma gota de água, para não se sentir culpada e não ganhar peso.

 Isso é vida?

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Herman Hesse Siddhartha


Este desejo, este desejo infantil, tinha crescido assim forte dentro dele: encontrar a paz destruindo seu corpo

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Alterações Comportamentais

alterações comportamentais
  • Alguns comportamentos se tornam ritualistas, por exemplo, sempre ocupando o mesmo lugar na mesa, os pratos, os copos e talheres devem estar arrumados de uma maneira simétrica.
  • Aumento da atividade física. Os exercícios exagerados são realizados com a finalidade  de perder peso, desejam ir caminhando para todos os lugares. Evitam os elevadores e usam as escadas, passam horas na academia, correm etc.
  • Aumento de interesse pela imagem e seu peso. Se queixam com freqüência sobre o seu peso: “estou gorda”. E aparência física.
  • Aumento no controle do peso, se pesam constantemente, inclusive varias vezes ao dia.
  • Com o tempo passam a eliminar da sua dieta um numero cada vez maior de alimentos, até chegar a se alimentar única e exclusivamente de verduras ou frutas em cada vez em menores quantidades. Podem consumir somente alimentos light. E inclusive a viver somente de líquidos.
  • Comparam-se constantemente com modelos ou outras figuras de admiração
  • Desculpas para não comer em casa  
  • Desejo claro de perder peso independente da idade, altura e peso.
  • Evitam alimentos como doces, pães, batatas, arroz, frituras, etc.
  • Fracionam a comida, deixando restos no prato.Também "brincam" com a comida antes de comer
  • Freqüentemente se vestem com roupas largas e sobrepostas, cuja função a principio é dissimular os supostos defeitos físicos (quadris largos, abdômen, etc.).Posteriormente sua função passa a ser a dissimulação da magreza extrema. Tem dificuldade em se vestir e escolher roupas, sempre buscando esconder o seu corpo cada vez mais magro, sob camadas de roupas, ex: calças de moletom, embaixo das calças jeans .
  • Insônia  
  • Isolamento social e familiar
  • Mentem sobre ter ou não comido, podem “esconder” a comida e depois jogá-la fora.
  • Momentos de muita tristeza, sentimentos de culpa e baixa auto-estima
  • Mudanças bruscas de humor (irritabilidade, agressividade, impulsividade).
  • Obsessão pela comida e ligação com  a cozinha, constantemente falam sobre dietas e sobre a quantidade de calorias dos alimentos. Muitas vezes gostam de cozinhar para a família, colecionam receitas e gostam de controlar a comida que existe em casa, fazendo listas de compras, ou, comprando os alimentos. Podem preparar pratos saborosos e elaborados para a família. Porem, elas mesmas nunca os comerão.
  • Preferem alimentar-se sozinhas
  • Preocupação exagerada com o conteúdo calórico dos alimentos e por dietas. 
  • Podem começar a apresentar problemas de relacionamento com outros membros da família, principalmente com a figura materna , pois é ligada à alimentação.
  • Podem apresentar uma obsessão com os estudos, dedicando-se várias e várias horas
  • Podem “vigiar” a preparação dos alimentos
  • Podem vomitar após se alimentarem.
  •  Sofrem de sentimentos de culpa após terem comido
  • Se recusam a comer em quantidades normais apesar dos riscos, recomendações, ordens e/ou ameaças familiares e inclusive médicas.
  • Uso de laxantes, diuréticos, qualquer erva ou “medicamento” que favoreça ou “prometa” o emagrecimento.


sábado, 2 de julho de 2016

Depoimento Bullying

Bullying e AnorexiaO seguinte depoimento foi deixado na postagem Mary-Kate Olsen sofreu de anorexia
"anorexia e causada por bullyng por isso pessoas que doam devem pensar no problema que vai causar. Bruna"

Dentro os vários fatores que podem levar o desenvolvimento da anorexia, o Bullying pode ser um deles sim. Pode ocorrer principalmente no período escolar, por isso os pais devem ficar de olho nos seus filhos quando deixam de levar uma vida normal, com irritabilidade, baixo desempenho escolar, dificuldades de relacionamento com os colegas. 

A sociedade e o bullyng  influenciam fortemente na formação da autoimagem,  o que os pais precisam explicar aos seus  filhos principalmente para as meninas, é que, na adolescência, todos passam pelas transformações fisiológicas e, estas mudanças podem trazer aumento do peso, o que não quer dizer que esteja acima do peso pretendido, porém, é assim que muitos sofrem sendo pressionados por familiares e amigos. 


terça-feira, 21 de junho de 2016

Alterações Físicas

anorexia alterações físicasAlterações físicas mais comuns que são consequências da anorexia:

  • Amenorreia = falta de menstruação
  • Consumo elevado de alimentos ricos em vitamina A e caroteno, como cenoura deixa pele amarelada
  • Frio excessivo
  • Lanugo (o corpo fica coberto com uma penugem fina)
  • Queda de cabelo  
  • Restrições alimentares
  • Perda importante de peso, não justificada
  • Sono excessivo


quarta-feira, 8 de junho de 2016

Comportamento Compulsivo - Você sabe o que é?

Transtorno Obsessivo CompulsivoComportamentos Compulsivos ou também chamados de Comportamentos Aditivos são hábitos aprendidos e repetitivos em excesso, eles ocorrem quase que automaticamente. São seguidos por uma descarga de alívio de ansiedade e angústia. 

Esses Comportamentos Compulsivos não permitem o bem estar mental pleno, ao conforto físico e à adaptação social. Exemplos:

Se a pessoa contra sua vontade é acometida pela ideia de que está se contaminando através de alguma sujeira nas mãos, terá pronto alívio em lavar as mãos. Entretanto, se tiver que lavar as mãos 40 vezes por dia, ao invés de adaptar essa atitude, acaba por esgotar.

Se a pessoa tem um pensamento incômodo de que aquilo que acabou de comer poderá engordá-la, terá alívio dessa sensação provocando o vômito, ou tomando laxantes... 

Isso se chama TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo, mas porque estamos falando disso num blog de anorexia?

Estamos falando, pois dentro dos comportamentos compulsivos teríamos, além do Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), o Transtorno do Esquema Corporal ou ainda chamado de Transtorno Dismórfico Corporal, que é a Anorexia, a falsa imagem do corpo, onde as pacientes acham que estão gordas.

Não há uma causa bem estabelecida para a ocorrência destes comportamentos, são  hábitos aprendidos no seio familiar,seja por razões psicológicas ou biológicas, podem ser entendidos como atitudes de enfrentamento da ansiedade e angústia, trazendo conseqüências físicas, psicológicas e sociais graves.

Primeiramente o paciente acaba tornando-se dependente dessas atitudes, as quais ocupam um espaço importante no seu cotidiano. Em alguns casos ocorrem danos físicos, no caso da anorexia pode ocorrer à desnutrição e isto levar a outros problemas de saúde e até a morte.

Geralmente  essas pessoas sentem desconforto emocional se não fizerem esses comportamentos ritualísticos, apresentam grande angústia ou ansiedade na ausência ou na impossibilidade em realizar a atividade compulsiva, isso acaba causando irritabilidade nos pacientes.

A ocorrência de tais comportamentos pode resultar em prejuízo no trabalho, na conclusão de tarefas, na liberdade de sair de casa, na vergonha do contato com outras pessoas. 

Quando surgem estas conseqüências, prejuízos significativos à vida da pessoa, de sua família e amigos, devemos procurar ajuda urgente de um profissional.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A doença

prato de comidaO termo anorexia deriva do grego:

 an = deficiência ou ausência de
 orexis = apetite

Anorexia é uma doença caracterizada por uma perda voluntária de peso, motivada por um desejo patológico de emagrecer aliada a um medo intenso de engordar.  

A perda de peso é conseguida por diferentes comportamentos:

  • Exercício físicos intensos
  • Jejum prolongado
  • Redução da alimentação, principalmente os que contem um maior numero de calorias.
  • Utilização de medicamentos anorexígenos (redutores do apetite) e também laxantes e diuréticos.
  • Vômitos provocados

  Desta forma, se produz uma desnutrição progressiva, aliada a transtornos físicos e mentais que podem ser muito graves, inclusive levando a morte.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Depoimento - Recaídas

consulta
Foi deixado o seguinte comentário na postagem Tratamento: Anorexia e Bulimia


"tenho 16 anos e tenho anorexia e bolemia a 2 anos. fiquei triste ao ver que mais nenhuma roupa ficava bem em mim. cheguei a comprar roupa infantil. mas mesmo assim me via gorda e sofri muito, estou me recuperando aos poucos, mas as vezes recaio!"

Sim entendo perfeitamente. Durante a fase de recuperação, é normal, sempre ocorrem as recaídas, não tem como evitar, elas surgem pelo espelho, pelo comentário de outra pessoa, pelos olhares, pela culpa de ter comido etc... Mas o importante é que você tem a noção de que está doente e que está lutando contra uma doença terrível. Você vai vencer!!

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Estudo e os Pensamentos

ansiedade
Sabe-se que os pensamentos relacionados ao medo são uma das maiores causas de doenças ligadas à ansiedade, como depressão, síndrome do pânico e também a anorexia. Cientistas descobriram uma forma de impedir que estes pensamentos se formassem no cérebro de ratos, por meio do bloqueio das transmissões de sinapses elétricas  no cérebro desses animais, isto é a ligação entre as células do cérebro, concluindo que as sinapses elétricas formam os pensamentos de medo e provavelmente outros tipos também.


A descoberta abre uma porta para a busca de medicamentos que sejam capazes de manipular essas sinapses.

Aguardemos então!

quinta-feira, 31 de março de 2016

Histórico do Diagnóstico

balança
A primeira descrição clinica do transtorno foi escrita em 1694 por Morton que chamou de "extenuação nervosa". Mas foi em 1874 que William utilizou pela primeira vez a expressão "anorexia nervosa":  forma peculiar de doença que afeta principalmente mulheres jovens e caracteriza-se por emagrecimento extremo cuja falta de apetite é decorrente de um estado mental mórbido e não a qualquer disfunção gástrica. 

William Gull descartou a possibilidade de que uma enfermidade orgânica justificasse a anorexia. Na mesma época se produziu a descrição da doença por Laségue como  inanição histérica e considerando-a, da mesma forma que Gull, uma doença psicogêna.

Em 1893, Freud descreveu um caso de anorexia tratado com hipnose, um ano mais tarde descreveu a doença como uma psiconeurose de defesa, ou neurose da alimentação com melancolia. 

No começo do século  XX,  a anorexia  começa a ser tratada sobre um ponto de vista endocrinológico. 

Em 1914 o patologista alemão Simonds, descreveu um paciente caquético, onde ao fazer-lhe  autopsia encontrou uma destruição pituitária e durante os 30 anos seguintes, reinou a confusão entre insuficiência pituitária (diminuição de um dos oito hormônios produzidos pela glândula hipófise localizada no cérebro) e anorexia nervosa.

 A partir dos anos 30, a anorexia passa a ser estudada sobre o ponto de vista psicológico, deixando no esquecimento as antigas discussões sobre a origem endócrina ou psicológica do transtorno.  Russel em 1970 e 1977 tenta mostrar a relação entre as teorias biológicas da origem da doença com as psicológicas e sociológicas, e chegou as seguintes conclusões:

  • O transtorno psíquico provoca a diminuição da ingestão de alimentos e a perda de peso
  • A perda de peso é a causa do transtorno endócrino
  • A desnutrição piora o transtorno psíquico
  • O transtorno psíquico também pode agravar de maneira direta a função hipotalâmica e produzir amenorreia
  • É provável que exista uma relação entre um transtorno do controle do hipotálamo na ingestão e na recusa da alimentação, característico da anorexia
  • O transtorno hipotalâmico poderia alterar as funções psíquicas, gerando atitudes anômalas frente ao alimento, imagem corporal e sexualidade.