Pesquisar

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Depoimento: perigo para o bebê

Olá, descobri o site de vcs hj e resolvi contar o drama que estou passando, para que possa ajudar outras pessoas. . . Tenho uma sobrinha, hoje com 17anos, grávida de 17 semanas. Extremamente depressiva, desde criança, sempre foi uma criança considerada magra, comia pouco e quando exagerava, o vômito era inevitável. Até nove anos, era uma criança feliz, após esse período, sua mãe casou novamente, e ela não aceitando tal fato tornou-se uma pré adolescente e adolescente extremamente revoltada, com desvios de conduta sérios, porém controlada com anti-depressivos. Quando fez 17 anos, em junho do ano passado, pesava 50kg, peso normal para os seus 1, 54m de altura. Depois disso, começaram transtornos alimentares. . . até dezembro, perdeu 4 kg, pesando 46kg, quando descobriu sua gravidez, indesejada. . . Aparentemente ela aceitou a gravidez, porém, com o início do pré natal, começamos a observar que algo estava errado. Perdeu mais peso ainda, que ela justificava ser por que estava enjoada de cheiros e não conseguia comer. Veio morar comigo então nessa época. . . comecei a proporcionar alimentos hipercalóricos, para ver se a situação revertia. . . Ela colocava comida no seu prato, como uma pessoa normal, eu acreditava que estava se alimentando bem, só estranhava que ela demorava demais para comer, esperava todos saírem da mesa. . . achava nojentos talheres e pratos, sempre achando uma mancha que dizia ser sujeira. Hoje, em consulta ao obstetra, verificamos que está pesando 38kg. . . isso para mim foi muito complicado. . . ela não admite que não come, mas chegando em casa, vasculhando as coisas dela, verifiquei alimentos petrificados escondidos no seu quarto, dentro da churrasqueira e em cantos do jardim! Jamais admite estar doente, mas percebi que ela provoca vômitos, quando se alimenta. . . essa situação me apavora, mais ainda, ela não consegue perceber que além de estar se prejudicando está colocando em risco também a saúde do seu bebê. O médico solicitou que eu a policie até segunda feira, após a Páscoa, e a partir de então iremos interná-la para fazer acompanhamento psiquiátrico e alimentá-la com soro e sonda se realmente ela continuar perdendo peso. Quando tiver novidades, escrevo p vcs e peço a gentileza que me ajudem como lidar com essa situação. perguntem a vontade, se possível, farei um relatório semanal sobre os acontecimentos que se seguirem.

Um comentário:

Equipe do Blog disse...

sua matéria é muito importante para o blog se quiser pode enviar mais por e-mail ou postar seu próprio comentário. Mantenha contato. Rezaremos por ela e muita força pra vc . Obrigada