Pesquisar

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Comentários

De acordo com a psicóloga Suzanne Robell, de São Paulo, (autora do livro:A Mulher Escondida - A Anorexia Nervosa em Nossa Cultura) anoréxicas são "sempre muito inteligentes, interessantes, bonitas, com uma vida interior muito rica, cheias de possibilidades, pessoas que haviam se destacado na infância, na adolescência e na idade adulta", mas, ao mesmo tempo há uma quebra, ou uma dificuldade, no desenvolvimento da feminilidade das pacientes. Mas há características de comportamento que costumam ser muito comuns durante a doença,algumas permanecendo depois da recuperação.
Um exemplo são as características Obsessivo-Compulsivas, relacionadas ou não com comida. A maioria dos pacientes preocupa-se excessivamente com alimentos que vai comer (de preferência, os permitidos, "pouco calóricos" e "saudáveis"), criando seu próprio mundo do que é ou não permitido, isolando-se para não comer o "proibido", aquilo que a retiraria de seu mundo, de seu aquário, onde há a proteção e nada mais, onde ela pode, somente observar o mundo lá fora. Por isso há um forte sentimento de inutilidade, bem como necessidade de controlar seu próprio mundo, limitando o contato social contendo suas emoções, pois para identificar o que o organismo quer, o desejo é fundamental, perde-se a espontaneidade. Essa inutilidade gera um comportamento no qual a pessoa se sente na obrigação de ajudar a tudo e a todos, pois como não consegue ajudar a si mesma, tenta fazê-lo com as outras pessoas com as quais convive. Elas tendem muito a interiorizar seus sentimentos, não conseguindo expô-los para os outros, nem sabendo distinguir suas próprias necessidades e desejos. Muitas vezes a anoréxica tem desejo de ser independente, porém têm medo das consequências (como separação da família, etc), mas a anorexia serve como meio de barrar sua sexualidade (a qual muitas vezes não sabem como conduzir e tem medo) no sentido de que elas permanecem mais tempo em uma "infância segura", onde são mais protegidas do "mundo externo".Há também comportamentos associados com outras formas de restrição alimentar que são os que sugerem que as obsessões e compulsões relacionadas a alimentos podem ser causadas ou exacerbadas pela desnutrição. Quando os pacientes com apresentam obsessões e compulsões não relacionadas a alimentos, forma corporal ou peso, pode haver algo ligado a um Transtorno Obsessivo-Compulsivo, que pode continuar estabelecido no comportamento da pessoa, mesmo depois da sua recuperação, como mania de arrumação ou perfeição, pois muitas das anoréxicas são perfeccionistas, querendo sempre agradar, sendo muitas vezes na infância,crianças ou estudantes-modelo.
Um estranho comportamento em relação à comida pode ser exibido por alguns desses pacientes durante a doença. Costumam esconder comidas pelos armários, banheiros, dentro de roupas ou podem preparar pratos extremamente elaborados para amigos ou familiares. Ou ainda procuram empregos de garçonetes, cozinheiros ou simplesmente colecionar receitas e artigos sobre comida. A preocupação crescente com alimentos corre juntamente com a diminuição no consumo. Assim, intensifica o medo de ceder ao impulso de comer e aumentam as proibições contra ela. Padrões de pensamento pré-mórbidos assumem um novo significado, um estilo de raciocínio de tudo-ou-nada leva a conclusão de que um grama de peso ganho significa uma transição de normal para gordo.
Os pacientes empregam uma ampla variedade de técnicas para estimar seu peso, incluindo pesagens excessivas, medições obsessivas de partes do corpo e uso persistente de um espelho para a verificação das áreas percebidas como "gordas".A auto-estima dos pacientes depende obsessivamente de sua forma e peso corporais. A perda de peso é vista como uma conquista notável e como um sinal de extraordinária disciplina pessoal, ao passo que o ganho de peso é percebido como um inaceitável fracasso do autocontrole. Embora alguns pacientes com este transtorno possam reconhecer que estão magros, eles tipicamente negam as sérias implicações de seu estado de desnutrição.

Nenhum comentário: